segunda-feira, junho 6

O mensalão e o tiro no pé




Como homem de esportes que fui, estava eu gastando minha noite de segunda-feira à frente da TV - sim, essa praga chegou ao céu. Em Buenos Aires, Galvão Bueno (quando é que você vem pra cá, meu caro?) elogiava o relógio do Roberto Carlos e, no Rio, um trio de tango ilustrava comentários sobre o clássico entre Brasil e Argentina. Coisa de ótimo gosto. De repente, resvalei o dedo no controle remoto e, pimba, dei de cara com o Miro Teixeira na Globonews.

Miro Teixeira é a prova de que o glorioso Jota erra até quando acerta.

Cercado de microfones, ele reconhecia que, ainda no ano passado, ficou sabendo da mesada que pingava no bolso dos parlamentares que votavam com o governo, esquema alardeado agora pelo ex-roliço Roberto Jefferson.

Talvez os 28 assinantes do Centenário ainda se lembrem da reportagem Miro denuncia propina no Congresso, publicada em 24 de setembro de 2004, contendo grande parte do que Jefferson acaba de dizer à Folha de S.Paulo.

Não tenham dúvidas de que, feito o estrago, essa matéria será explorada à exaustão, no melhor estilo "você leu antes no JB".

O que eles jamais vão dizer, claro, é o motivo pelo qual a bomba não explodiu na época. Não tem problema, eu digo. Há muito tempo, vejo tudo aqui de cima, esqueceram? O caso não ganhou repercussão basicamente por dois motivos.

Primeiro, porque criou-se o péssimo costume de não levar a sério o que sai nas benditas páginas concebidas na Avenida Rio Branco.

Segundo, porque Miro negou tudo. Desmentiu, de cabo a rabo, o texto que o classificava como fonte da denúncia.

E por que raios desmentiu?

Simples.

No episódio do ano passado, Miro narrou os fatos em off à jornalista (nome aos bois, por favor) Belisa Ribeiro, então chefe da sucursal de Brasília e, nas horas vagas, mãe de Gabriel, o Pensador. Com fome de furo, ela chutou o off pro alto e publicou tudo à revelia da fonte.

O então ministro, que por acaso também é colega de profissão e conhece bem esses códigos de conduta, soltou fogo pelas ventas. Negou, negou e negou, esvaziando o teor da reportagem. Agora, com Jefferson na fogueira, veio a público e confirmou tudo.

Na Globonews, bem longe do Jota.

Fez muito bem, ora bolas.

6 Comments:

At 06 junho, 2005 23:09, Anonymous Gabriel O Pensador said...

Porra, brother, minha mãe só me enche o saco! Primeiro foi aquele playboyzinho do Collor, que vivia trancado no banheiro lá de casa. Agora esse Miro Teixeira, que esqueceu o Brizola e só pensa em detonar o PTB. Já tá na hora de esse pessoal fumar o cachimbo da paz. Mas deixa eu apertar antes!

 
At 08 junho, 2005 01:15, Anonymous Anônimo said...

Do programa de rádio do Observatório da Imprensa:

"O Jornal do Brasil precisou da palavra de Roberto Jefferson para voltar com estardalhaço à matéria sobre o "mensalão", que havia abandonado nove meses antes.

Isso é que é coragem cívica. E jornalística..."

 
At 08 junho, 2005 01:49, Anonymous Anônimo said...

Rapaziada,
segurar em off uma pica desse tamanho não deve ser fácil. Miro não é bobo, sabia que estava conversando com jornalista. A primeira matéria do jotaço não fez mais estrago por dois motivos: o jornal não repercute mais, mesmo; e ninguém que sabia da história queria acabar com a mamata, já que ou estava na lista ou não podia dizer que sabia. O que fazer, então? Sustentar um off (desmentido) com outro off?
Agora, o ex-bolo-fofo joga merda no ventilador pra posar na foto como denunciante. Por mais que a gente faça piada, o jotaço deu antes mesmo.

 
At 08 junho, 2005 02:09, Blogger Carlos Castello Branco said...

O triste da história é constatar a irrelevância do JB.

Deu o caso há nove meses e foi solenemente ignorado pelo meio político e por toda a imprensa.

Na edição de hoje, foi cabotino ao extremo e, na verdade, apenas admitiu que não provoca mais repercussão alguma.

Quem citou o JB, o fez pra não pôr mais cereja no bolo da Folha, que trocou a cópia das gravações pelo crédito do William Bonner.

 
At 09 junho, 2005 13:44, Anonymous Café Solúvel said...

Gente! que blogue gostoso de ler, hein! A gente lê do último ao primeiro post assim, num fôlego só, sem nem perceber.

A idéia é muito boa. Fiz a descoberta hoje e pretendo continuar acompanhando as JBestagens por aqui.

Abraço a todos. Uma reverência especial à Condessa, pela idéia tão formidável.

 
At 04 maio, 2006 01:25, Anonymous Anônimo said...

Hey just added you to my favorites. This really is a nice site to read. I actually agree with the last comment. Thanks and keep up the great work! golf equipment retailer

 

Postar um comentário

<< Home