sexta-feira, junho 3

O meu amigo Ribamar



Confesso: melhor que ter Doriana no café da manhã, é ter Doriana e mais o Jotaço, quentinho, saindo do forno, em cima da minha mesa. E admito: às sextas-feiras, vou sempre direto para a página de Opinião, onde mais um valoroso amigo, o ESTADISTA José Sarney escreve magnânima coluna, dando aulas de democracia.
Eu admito também que mal posso esperar para que Sarney venha logo aqui para o céu. Claro, até aqui há certa oposição, e uma gentinha que não vale nada dizendo que dificilmente São Pedro concede o visto. Mas eu não ligo. Sarney está acima de tudo isso, e meu amigo Tanure, o bom baiano, foi um dos primeiros a ter esta visão ao longe, quase no horizonte. Deu a Sarney uma coluna no meu Jotaço.
A biografia de Sarney diz tudo: é um político tão bom que nem precisou passar por eleições, foi senador biônico pela Aliança para Renovação Nacional (Arena), combatendo os safados dos comunistas. Depois, assumiu a vaga de Tancredo (que está aqui ao meu lado conspirando para trazer o Zé Aparecido de Oliveira), e conduziu o governo da transição democrática, com rara sabedoria.
Afinal, foi ele quem colocou meu bom amigo Antônio Carlos Magalhães no Ministério das Comunicações, foi ele quem criou o bom Dornelles (o Chico Sobrinho), foi Sarney quem deu ao país obras incontestáveis como a Ferrovia Norte-Sul e, last but not least, o Plano Cruzado.
Que saudades tenho do Plano Cruzado! Foi graças a ele que elegemos pessoas progressistas como Moreira Franco no Rio, Orestes Quércia em São Paulo, Newton Cardoso em Minas Gerais e Roberto Requião pela primeira vez no Paraná (ou teria sido o meu amigo Zé Richa aqui do lado? Minha memória me trai).
Eu fui um fiscal do Sarney. Lutei por mais um ano de mandato, como ele queria. As conquistas de Sarney são irretocáveis - até ausente o velho Ribamar nos brindava com maravilhas, como quando Paes de Andrade, assumindo temporariamente sua vaga, mudou a capital do Brasil para Mombaça, no Ceará.
Hoje, é com orgulho que vejo daqui de cima o meu Jotaço trilhando o caminho da modernidade e do avanço político, tendo uma coluna SEMANAL do meu amigo José Sarney. Longa vida para ele.
Só sinto falta de uma coisa: cadê a coluna do sumido e querido Quércia?

2 Comments:

At 03 junho, 2005 20:36, Blogger Carlos Castello Branco said...

Requião ainda é grato, doutor Brito. Ontem, por exemplo, mandou publicar anúncios coloridos do seu governo em três páginas do velho Jota.

O líder paranaense continua no PMDB, o partido do casal Garotinho. A lista de amigos do trio - e do Jota - é longa: Orestes Quércia, José Sarney, Jader Barbalho, Romero Jucá, Moreira Franco, Jorge Picciani...

 
At 16 junho, 2005 18:31, Anonymous Anônimo said...

Dr Brito,

Sarney e o Cruzadão foram responsáveis pela eleição do atual senador Alvaro Dias para o governo do Paraná, na mesma fornada que elegeu Newton Cardoso, Quercia e Moreira Franco.

 

Postar um comentário

<< Home