segunda-feira, julho 11

Museu virtual de calúnias e difamações


Falou mal da Rosinha? Processo nele!

A alta cúpula do Centenário precisa mandar logo um mensageiro até o JB Online para avisar que Antonio Sepulveda não integra mais o quadro articulistas da casa.

Desde o dia 8 de junho, ou seja, pra mais de mês, o escritor sumiu misteriosamente da página de Opinião. Seu último texto, vejam que coincidência, mirava (e acertava em cheio) o governo estadual. A idéia era expor aos leitores uma ameaça de processo por parte do secretário Fernando Peregrino, guardião-mor de Rosinha Garotinho, citado outro dia pelo velho Brito aqui mesmo no Avenida.

A cada linha do artigo, os elogios se atropelavam:

Não deve ser tão difícil assim demonstrar que Garotinho seja um político medíocre, populista, demagógico e potencialmente danoso em qualquer cargo público que a irresponsabilidade humana lhe venha a confiar. (...)

O espevitado Peregrino entende que a mídia deveria elogiar essa corja. (...) Nem é necessário difamar a triste figura de Garotinho; este, sendo quem é, sabe fazer isso sozinho e com maestria.


Nas páginas impressas, Sepulveda nunca mais apareceu. O JB Online, porém, insiste em manter o difamador subversivo na seção dos colunistas. Dá para adivinhar qual texto ficou de testamento?

Se quiser ler a íntegra, vá em frente. Só tome cuidado para não ser flagrado pelo secretário-guarda-costas.

1 Comments:

At 17 julho, 2005 15:36, Anonymous Anônimo said...

Antônio Sepúlveda tem que voltar para o JB! Ele, Alberto Dines e Mauro Santayana são o melhores entre os melhores. Está havendo censura só porque falam do little boy da triste figura. Disgusting...

 

Postar um comentário

<< Home