terça-feira, agosto 9

Tanure, Itagiba, Zveiter, Julio Lopes


Isso é elite no Brasil? Rararará

Dizem que se conhece uma festa pela lista de convidados. E pelo relato na coluna social, acrescentaria este velho periodista. Exasperada com a cafonice da nova burguesia que comanda seu antigo matutino, a Condessa me obrigou a ler a crônica do casamento de Pedro Grossi Neto, filho do vice-presidente para o PMDB, publicada no Jota de hoje.

Hildegard Angel, a madrinha das emergentes, deu destaque médio ao casório. Estava ocupada com o GP Brasil e os exóticos penachos que seu leitorado gosta de usar para ver cavalos. Gente que Hilde insiste em afagar com um francês de Carrefour, chamando cafona de très chic e magano ocioso de hors concours.

A colunista encontrou lugar para bajular a "mãe do chefe de polícia, Dora Itagyba". Até elogiou "seus olhos azuis combinando com o shantung azul-claro do seu tailleur".

O título da coluna já merecia nota no Avenida: "Borbulhando nas patas dos pocotós".

A próxima, por favor.

Márcia Peltier, a divulgadora oficial do Comitê Olímpico, voltou a mostrar por que não arreda pé da liderança do campeonato de bajulação. Publicou fotos do casal e duas notas sobre o banquete. O leitor que segurou o engulho foi informado que a história do pequeno Grossi, que conheceu a noiva num encontro de jovens católicos em Toronto, emocionou a todos.

Suspeita-se que alguns convidados, atentos às lágrimas dos incautos, tenham aproveitado para furtar-lhes a carteira. Com o capo presente, não adiantaria chamar a polícia.

Concorrida -
Lúcia e Pedro Grossi, radiantes com o casamento do filho, recebiam os amigos na recepção no Hotel Sheraton. Entre muitos, Nelson e Patrícia Tanure, o secretário de Segurança, Marcelo Itagiba, e Gabriela, o prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias, e Maria Antônia, Márcia e o ex-prefeito de Salvador, Antônio Imbassahy, o secretário Sérgio Zveiter, Hélène e o presidente da Light, Jean-Pierre Bell, o deputado Júlio Lopes e Elizabeth e Gabriel Stoliar, da Vale do Rio Doce.

PS: Diferentemente do que publicou o bom Saldanha, a festa não teve entrada a um real. "Populismo é para o povo", observaria Acácio - o conselheiro, não o ex-goleiro do vasco.

7 Comments:

At 09 agosto, 2005 14:19, Anonymous Veneno D'Orleac said...

J'adore essa maneira blasé de M. Chateau Balnc comentar o que sai publicado no velho Jota.

 
At 09 agosto, 2005 14:22, Anonymous Veneno D'Orleac said...

Pardon, digitei errado o nome de mon journaliste eterno: Chateau Blanc, e não Chateau Balnc.

 
At 09 agosto, 2005 14:38, Anonymous Anônimo said...

Querido, voce destila mais veneno que qualquer serpente do Butantã!!! Vou sugerir à direção do Jotinha dar uma coluna para você. Assim, o Jornal ganha um venenoso colunista e, quem sabe, você desiste desse ressentimento para com o Jornal.

 
At 09 agosto, 2005 23:36, Blogger Burphan said...

Castellinho:

A Condessa Maurina Dunshee de Abranches Pereira Carneiro, ou Tia Nenén, se preferir, deve ter achado esse texto.

Parabéns!

 
At 09 agosto, 2005 23:40, Blogger Burphan said...

... esse texto ma-ra-vi-lho-so!

(Eu ainda estava rindo e não completei a frase)

Parabéns, de novo!

 
At 10 agosto, 2005 12:21, Blogger Carlos Castello Branco said...

Prezado anonymous, este colunista está velho demais para se pôr à venda.

Ademais, a Condessa já garante o uísque. Sem contas a pagar, é o suficiente.

Abraço do
Castello

 
At 15 agosto, 2005 19:38, Anonymous Anônimo said...

Pelo amor de Deus, não percam a 1ª página do JB de hoje - mais um "paralisa"!! A falta de criatividade e o descompromisso com qualquer especificidade na hora de informar são incríveis!

 

Postar um comentário

<< Home